Arara-azul-grande PDF Imprimir E-mail

Arara-azul-grande

Nome científico: Anodorhynchus hyacinthinus

 

Outras denominações: Arara-preta (Mato Grosso), Ararauna (“una” significa “negro” em tupi) e Arara-hiacinta.

 

Ave pertencente à família dos psitacídeos.

 

Tamanho: 1m

 

Peso: 1,2 – 1,3 kg

 

Expectativa de vida: 70 anos

 

Características: É o maior representante da família em todo o mundo. A plumagem é predominantemente azul cobalto, mais escura nas asas, o bico é cinza escuro, muito grande, aparentando ser maior que o próprio crânio, com pronunciado entalhe na mandíbula, e a pele do contorno dos olhos é amarela. A língua é negra com uma tarja amarela longitudinal. Não existem características físicas que diferenciem machos e fêmeas (dimorfismo sexual).

 

Distribuição geográfica: Antigamente comum em grande parte do Brasil, hoje é encontrada no Pantanal, abrangendo pantanal Boliviano, Paraguaio e Brasileiro, nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, bem como no norte do Brasil, nos estados do Amazonas e Pará e na região de “Gerais” que incluem territórios do Maranhão, Bahia, Piauí, Tocantins e Goiás.

 

Habitat: Na região do Pantanal, são encontradas em áreas abertas, nas matas que possuem palmeiras, enquanto seus ninhos estão localizados na borda ou interior de cordilheiras e capões, bem como em áreas abertas para o pasto. Na região do Pará, utiliza as florestas úmidas, preferindo locais de várzeas ricas em palmeiras. Nas regiões mais secas (TO, PI, MA e BA), é comum encontrá-las em áreas sazonalmente secas, preferindo os platôs e vales dos paredões rochosos, nesta região faz ninhos em ocos de palmeiras (TO), árvores emergentes (PA) ou em falhas de paredões rochosos (PI).

 

Alimentação: Sua alimentação é à base de palmeira acuri, (aproveitando os frutos caídos, ruminados pelo gado ou por outros animais) e o coco bocaiúva (diretamente no cacho).

 

Reprodução: Atinge a maturidade aos sete anos, sendo que a fêmea põe 2 ovos, do tamanho de um ovo de galinha incubados principalmente pelas fêmeas que é alimentada pelo macho, durante aproximadamente 28 dias de incubação. Os filhotes nascem frágeis e são alimentados pelos pais até seis meses de vida sendo totalmente dependentes dos pais (altriciais), Na maioria dos casos, apenas um filhote sobrevive, devido à competição por alimento entre os filhotes. 

 
, Powered by Joomla!; Joomla templates by SG web hosting